Cidade Igualdade inicia cursos profissionalizantes para mulheres

75

As primeiras mulheres inscritas no programa Cidade Igualdade da Prefeitura de Parauapebas já começaram a entrar em campo para aprender profissões como de torneira e de ajustadora mecânica, montadora e reparadora de computadores, mecânica de manutenção industrial, gerenciadora de resíduos sólidos, entre outras funções.

Nesta primeira etapa, são 11 cursos oferecidos pelo programa comandado pela Secretaria Especial de Governo (Segov) e que foi lançado em 15 de março com um objetivo desafiador: qualificar, em quatro anos, mais de 20 mil mulheres em funções dominadas pelos homens.

Serão dois meses de aprendizado, com 180 horas de aulas ministradas por instrutores do Senai, parceiro da prefeitura na qualificação. No período de inscrição, no final de março, 340 mulheres foram cadastradas, mas devido à grande procura pelos cursos de operadora de equipamento de mina e de gestão de projetos o número de vagas foi ampliado e deve chegar a 400.

Vencendo a timidez

As turmas começaram tanto na zona urbana quanto na zona rural, nos horários da tarde e da noite. Na Palmares 2, as mulheres chegaram ainda tímidas para o curso de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, incluído na lista do Cidade Igualdade atendendo a sugestão das empresas do ramo, que encontram dificuldades na contratação de mão de obra por falta de profissionais em Parauapebas.

E é uma aluna que se encarrega de motivar uma das turmas. Aos 38 anos de idade e com 5 filhos, Dayane Arruda é coordenadora técnico-pedagógica na educação do campo na Palmares 2, onde reside há mais de 18 anos e que decidiu se qualificar em gerenciamento de resíduos sólidos.

Como as demais alunas, Dayane quer avançar profissionalmente e contribuir para a melhoria de vida no lugar onde mora. “Muitas mulheres precisam dessa oportunidade. São mulheres guerreiras. A nossa comunidade é movida por mulheres e uma profissão como essa, de gerenciamento de resíduos sólidos, e os outros cursos que virão são uma grande oportunidade. Nós temos que só agradecer”, reconhece Dayane.

Entre as alunas, aliás, não faltam agradecimentos à prefeitura “por ter olhado para nós, mulheres” e ao prefeito Darci Lermen por atender à reivindicação delas de criação de cursos técnicos e profissionalizantes.

Desempregada atualmente, casada e com 5 filhos, Luciane Alves está cheia de expectativas como as demais mulheres. “A gente fica agradecida por esse projeto, que é muito legal, muito bom pra gente, é um aprimoramento pra gente”, diz ela.

Serviço – Para saber mais sobre os cursos, acesse o link do programa Cidade Igualdade, que está no site oficial da Prefeitura de Parauapebas: https://parauapebas.pa.gov.br/cidade-igualdade/

Texto: Hanny Amoras
Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.