Segup reafirma políticas públicas para mulheres vítimas de violência através de parceria com Ideso

87

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup) em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Social (Ideso) iniciaram as tratativas para a formação e implementação de cursos de capacitação voltados aos agentes das Polícias Civil e Militar. O objetivo é de qualificar os servidores para que eles possam prestar atendimento especializado às mulheres vítimas de violência. A parceria está sendo realizada por meio de um termo de cooperação técnica que visa, sobretudo, atender as demandas sociais de mulheres vítimas de violência doméstica em todo o Estado.

Entre os cursos que serão ofertados estão o de “Abordagem policial para atender às mulheres vítimas de violência doméstica”, que será destinado especialmente aos servidores da Polícia Militar. Já para os agentes da Polícia Civil será ofertada  “Capacitação para o Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica”. Os cursos contribuem para a formação e preparo psicológico dos agentes que estiveram à frente do amparo às vítimas, com o intuito de, oferecer  um atendimento mais qualificado no combate à violência contra a mulher.

Tratativas – Outra novidade é a ampliação das leis de proteção à mulher, visto que a parceria da Segup com o Ideso busca garantir preparo na aplicabilidade dos direitos das vítimas. “No primeiro momento, esse acordo foi pensado para melhorar a abordagem policial, o tipo de abordagem que é feito com a vítima. Agora estamos buscando ampliar esse atendimento e capacitação para que eles possam ter maior conhecimento das leis de amparo e assim prestar um auxilio mais humanizado às Vitimas. Vamos incrementar o alcance do curso para que possamos capacitar o maior número de agentes possíveis, pois quanto maior o número de policiais capacitados, melhor”, informou Márcio Emídio, coordenador jurídico da Segup.

A formação veio somar com outras ações que a segurança pública já desenvolve a exemplo da operação “Maria da Penha”, aplicativo SOS Maria da Penha, Patrulha Maria da Penha e canais de denúncia, via Disque denúncia por maio do atendimento convencional pelo número, 181 ou ainda via whatsapp por meio do canal da IARA (Inteligência Artificial Rápida e Anônima). O Estado conta ainda com as Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (Deam) da Polícia Civil.Por Walena Lopes (SEGUP)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.