Estado abre a 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes exaltando a literatura, a educação e o conhecimento

186

Inclusiva, democrática, múltipla e social. Assim foi a abertura oficial da 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, na noite desta quarta-feira (1º), com a presença do governador Helder Barbalho, de escritores, estudiosos, estudantes, autoridades municipais e estaduais. Pela primeira vez sediada na Arena Guilherme Paraense, o Mangueirinho, em Belém, a Feira vai até o próximo domingo (05), sempre das 09 às 19 horas. A entrada é gratuita.Autoridades no estande do BanparáFoto: Alex Ribeiro / Ag.Pará

A edição deste ano tem como homenageados o escritor Vicente Franz Cecim, falecido em junho deste ano, e a escritora e pajé Zeneida Lima. Os principais eixos norteadores do evento são tecnologia, inclusão, acessibilidade e juventude. A Feira conta com 36 estandes e uma Arena Multivozes, direcionada para a arquibancada, onde o público poderá se posicionar para acompanhar a programação.

Em seu pronunciamento, Helder Barbalho reiterou que a cultura é um dos pilares do governo do Pará, por isso sua gestão prioriza o incentivo à leitura e a valorização da cultura paraense e dos saberes amazônicos. O governador destacou a necessidade de garantir que todas as expressões criativas e inventivas sejam compreendidas por meio de ações transversais.

“Essa Feira representa a retomada da oportunidade presencial de estarmos reunidos neste momento em favor da literatura, educação e conhecimento. Também é uma oportunidade para prestigiarmos os artistas paraenses e, claro, buscar fazer uma transição dentro de todos os cuidados sanitários. Ainda não estamos no tamanho da edição de 2019, mas já é um formato que as pessoas têm acesso à literatura”, ressaltou o governador.

Organizada pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult), a programação da Feira Pan-Amazônica é diversificada e conta com espetáculos cênicos; recitações poéticas; teatro de bonecos; contação de histórias; Cine Curau, criado este ano para dar destaque às obras audiovisuais produzidas por Vicente Cecim; Papo Cabeça; rodas de conversa; Encontro Literário; apresentações musicais com artistas paraenses e visitação guiada e gratuita ao Centro de Ciências e Planetário do Pará, próximo ao Mangueirinho.A escritora e pajé Zeneida Lima agradeceu o reconhecimentoFoto: Alex Ribeiro / Ag.Pará

Destaques – Homenageada em vida, a pajé e escritora Zeneida Lima destacou que nunca teve o trabalho reconhecido em solo paraense, daí sua felicidade em ser um dos destaques desta edição da Feira. “Nunca fui homenageada. Em nenhum Governo isso aconteceu; mas neste eu fui. Só tenho que agradecer. Todo mundo me homenageava, menos o Pará. Tenho 16 livros infantojuvenis, livros de poesias, lendas, e ninguém fez nada. Agora isso mudou”, disse a escritora.

Filho do escritor homenageado Vicente Cecim, o fotógrafo Bruno Cecim disse que a homenagem ao pai simboliza a preservação do seu legado. “É uma grande honra estar representando meu pai. Estamos muito felizes. Quando ele soube que seria homenageado ainda estava em vida e comemorou. Um dia de muita felicidade, onde podemos falar um pouco mais deste grande escritor e valorizar esse grande legado que ficou”, declarou Bruno Cecim.Bruno Cecim, filho do escritor homenageado Vicente Franz CecimFoto: Alex Ribeiro / Ag.Pará

Futuros homenageados – Ainda durante a abertura, os organizadores anunciaram que o escritor Edir Augusto Proença e a cantora Dona Onete serão homenageados na próxima edição da Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, em 2022.

“Esse evento é de extrema importância. São 24 edições, e eu estive presente em todas elas. Algumas lançando alguns livros, mas hoje estou na condição de prefeito, colaborando. A Feira é esse momento de alegria e afirmação. O futuro depende do alimento e amor que se dá pela leitura”, afirmou o prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues.

Após a solenidade de abertura oficial da Feira houve a apresentação musical da banda Fruto Sensual, que no palco externo mostrou um repertório bem popular.

Por meio de cadastramento na plataforma Mapa Cultural do Pará, foram credenciadas e habilitadas 19 livrarias, sebos, distribuidoras e editoras de livros da região para participação na 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes. Também confirmaram presença três livrarias nacionais que atuam
em Belém: Saraiva, Cultura e Boitempo.

Saúde e segurança – A 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes conta com protocolos de segurança para prevenção da Covid-19, como a obrigatoriedade do uso de máscara, uso de álcool em gel (disponível em áreas de maior circulação) e orientação para evitar aglomerações.Governador Helder Barbalho e a secretária Ursula Vidal em visita aos estandes da FeiraFoto: Alex Ribeiro / Ag.Pará

Para garantir maior segurança ao público infantil que participa do evento, os organizadores decidiram que crianças e seus acompanhantes terão acesso preferencial das 09 às 13 h, com orientação de permanecer no local até as 14 h. A partir das 14 h, os portões serão abertos para o público jovem e adulto. O objetivo é evitar a exposição das crianças ainda não vacinadas a uma maior circulação de pessoas.

Ainda dentro dos protocolos sanitários exigidos pelos organizadores, a Feira vai contar com uma rotatividade de apenas 1.500 pessoas por turno no local dos estandes, e será exigida a apresentação da carteirinha de vacinação completa para as faixas etárias já incluídas na campanha de imunização contra a Covid-19.

Foto: Alex Ribeiro / Ag.ParáInclusão e diversidade – O governo do Estado busca tornar a Feira Pan-Amazônica do Livro cada vez mais inclusiva, diversa e democrática. A inclusão do conceito das Multivozes no nome do evento visa garantir a valorização e o reconhecimento da oralidade como elemento de formação cultural e simbólica, além de passar a dedicar um dia inteiro de programação ao fomento dessas múltiplas vozes, já que a Feira se consagra como um espaço de construção de identidades.

Em 2019, a Feira deu espaço às vozes das mulheres, negros, povos originários, comunidade LGBTQI+ e coletivos urbanos da periferia, assim como às falas das diversas expressões artísticas e culturais. Neste ano, a 24ª edição da Feira abre espaço às vozes dos artistas homenageados, do autor paraense, da inclusão, da tecnologia e da juventude.Show da banda Fruto Sensual agradou aos visitantes no primeiro dia do eventoFoto: Alex Ribeiro / Ag.Pará

Leia também:

– Estande da Fundação Cultural terá lançamentos de livros, teatro e acervo em Braille https://agenciapara.com.br/noticia/33356

– Estado garante esquema de segurança para a Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes https://www.agenciapara.com.br/noticia/33348

– Secult define últimas ações para a 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes – https://agenciapara.com.br/noticia/33142Por Leonardo Nunes (SECOM)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.